Meu Carrinho

Fechar

Como degustar vinhos

Fazer uma degustação de vinhos não é algo complicado, mas pode gerar algumas dúvidas. O que é preciso analisar primeiro? De forma geral, na hora de degustar nossa bebida favorita, fazemos uma análise visual, olfativa e gustativa. 

O ambiente precisa estar livre de odores e com luz baixa. Você pode. É legal servir um alimento neutro, como pão, e não pode se esquecer de uma garrafa de água mineral, para limpar o paladar entre um vinho e outro.

Existe a degustação vertical, em que diferentes safras de um mesmo rótulo são avaliadas e a degustação horizontal, com vinhos diferentes, mas da mesma safra, estilo ou nível, com produtores diferentes. 

Análise visual

No primeiro passo da degustação, se avalia o aspecto visual dos vinhos. Para isso, é preciso escolher uma taça transparente. Sirva cerca de ⅓ da taça, mais ou menos 150 ml, para que haja espaço para incliná-la e girá-la, sem derramar. 

A melhor luz para analisar a cor é a branca e é interessante posicionar a taça sobre um fundo branco também. Depois de servir o vinho, olhe os tons da borda ao centro, avaliando o brilho e se há ou não sedimentos. Se quiser deixar registradas suas impressões, anote todas as informações.

Análise olfativa

Depois de fazer a análise visual do vinho, é hora de avaliar as características aromáticas. Primeiramente, sinta os aromas antes de girar a taça. Ao movimentar o líquido, eles se transformam. Por isso, é importante você senti-los antes e depois de girar a taça. 

Pelo cheiro, é possível notar se um vinho foi elaborado em uma região mais quente ou não, se passou por barricas de carvalho e muitas outras percepções. A identificação dos aromas tem a ver com a memória olfativa de cada um. Quanto mais repertório de cheiros você tem, mais consegue notar os aromas de um vinho.   

Análise gustativa

Se você já avaliou a cor e os aromas do vinho, então, é hora da análise gustativa. Coloque um pouco do líquido na boca, deixando-o passar por toda a mucosa bucal, língua e céu da boca. Depois, dê outro gole. 

No paladar, pode-se avaliar aspectos como o corpo do vinho, a concentração de açúcar, o amargor, a acidez. Quando um vinho é equilibrado quer dizer que nenhum desses componentes gustativos se sobressai ou falta. Tudo vai depender do estilo e do que o enólogo decidiu para cada um.