Meu Carrinho

Fechar

Qual a diferença entre Vinho Reserva e Vinho Reservado?

Os termos Reserva e Reservado são muito comuns em diversos países produtores do mundo, mas você sabe dizer o que eles significam? Essa é uma resposta complexa, pois cada país produtor os define de um jeito. 

O fato do vinho levar em seu rótulo um desses dois termos também não quer dizer que ele tem maior qualidade do que outros, ao contrário do que muita gente pensa. 

Vinho Reserva

A definição de um vinho Reserva varia bastante de região para região. Na América Latina, por exemplo, os países produtores podem adotá-lo sem seguir uma legislação específica. 

Sendo assim, muitas vinícolas colocam o termo Reserva para indicar o amadurecimento em barricas de carvalho, com tempo e tipos de madeira variados. Há também os produtores que o usam para indicar um tipo de colheita mais cuidadoso ou uma linha de vinhos acima da categoria Reservado. 

Aliás, o termo Reserva também pode ganhar outros predicados, nos países latino-americanos, como Reserva Especial, Reserva Privada e Gran Reserva, também sem nenhuma certificação. Geralmente, as vinícolas os adotam para diferenciar os níveis de amadurecimento dos rótulos de uma mesma linha. 

Assim como na América Latina, em outros países do Novo Mundo, como Estados Unidos e Austrália, o termo Reserva não tem regras. Já em países do Velho Mundo, Reserva normalmente está ligado ao tempo de amadurecimento. 

Vinho Reservado

Assim como o termo Reserva, o Reservado também não tem regras de uso. Na América Latina, por exemplo, ele é muito usado em vinhos fáceis de agradar, descomplicados e leves, para consumo cotidiano. 

São aqueles vinhos que não amadurecem em carvalho e não trazem complexidade nem de aromas e nem de sabores. Da mesma maneira que no termo Reserva, o Reservado não indica qualidade, mas sim vinhos bem feitos, ainda que em grande escala. De forma geral, ele antecede o exemplar Reserva.